Glúten Vilão ou Mocinho?

Um breve esclarecimento sobre essa proteína que talvez você não sabia, encontrada nos cereais, como trigo, centeio e cevada.

A intolerância ao glúten está cada vez mais popular entre as pessoas principalmente entre as crianças, que estão sofrendo cada vez mais cedo com problemas causados pelo consumo de glúten. Para aqueles que não podem consumir glúten ainda existem muitos alimentos que possuem glúten e a maioria não sabe.

Glúten Vilão ou Mocinho – Conhecendo um poucoglúten vilão ou mocinho

O glúten é um composto proteico que é encontrado em diversos cereais, como: trigo, centeio, cevada e aveia. A gliadina é uma proteína que forma o glúten, ela é causadora dos males causados pelo glúten.

Ainda existe alguns estudos para criar anticorpos para combater essa proteína. Para quem possui intolerância, essa proteína interfere diretamente o funcionamento do sistema imunológico, fazendo com que todo o corpo tenha reações agressivas, como: cólicas, vômito, diarreia, fadiga e dores de cabeça.

  1. Todo grão possui glúten?

Felizmente, nem todos os grãos possuem glúten, além de alguns tipos de aveia também não possuir glúten, deixando livre seu consumo para os celíacos, denominação para pessoas que possuem intolerância ao glúten. Conheça alguns grãos livres de glúten:

  • Milho
  • Linhaça
  • Grão de bico
  • Amaranto
  • Quinua
  • Arroz 
  1. O glúten não é digerido naturalmente?

Apesar de contra dizer os estudos mais antigos, novas pesquisas revelam que o corpo é capaz de digerir o glúten em diversas circunstâncias, e ocorrem devido algumas bactérias que estão presentes na boca. Ainda não foi descoberto se essas bactérias que ajudam na digestão natural do glúten sempre estiveram presentes na boca ou se foram desenvolvidas para esse propósito.

  1. Você sabe a diferença entre intolerância e sensibilidade ao glúten?

Apesar de parecer a mesma coisa devido aos sintomas serem parecidos, aqueles que possuem a doença celíaca, ou seja, possuem a intolerância ao glúten, os sintomas são mais agressivos, precisando de acompanhamento médico especial além de uma dieta zero glúten. Já que possui apenas uma sensibilidade ao glúten, possui os sintomas de uma forma mais branda, onde apenas a mudança na dieta resolve todos os sintomas.

  1. A doença celíaca é considerada uma alergia?

Sim, a doença celíaca é uma forma de alergia. Lembra que falamos no início deste artigo que a gliadina, proteína que causa a intolerância ao glúten causa uma confusão no sistema imunológico, então, uma alergia é caracterizada por uma confusão no sistema imunológico, onde os mecanismos de defesa do corpo encaram aquele alimento como uma ameaça. No caso da doença celíaca, a confusão começa quando a proteína chega ao intestino.

Algumas observações sobre o glúten (escrito pela nutricionista CAROL MORAIS):


Clicar para aumentar
O Glúten engorda?

Outra confusão. Muitas pessoas associam a dieta livre de glúten ao emagrecimento, acreditando que o emagrecimento é causado simplesmente pela retirada do carboidrato, que possui glúten. Mas a questão não é bem esta. É claro que a gente sabe que carboidrato em excesso engorda, mas por outros motivos, que não estão relacionados ao glúten! A relação entre o consumo de glúten e a obesidade tem a ver com a questão inflamatória da proteína.

Veneno?

O glúten é um veneno e devemos cortar para sempre da vida?! Não sejamos radicais. Cada caso é um caso, cada organismo é diferente e tem predisposições genéticas diferentes. Tem gente que NÃO PODE MESMO COM O GLÚTEN. Mas também é uma questão de opção. Há quem simplesmente decida viver livre de glúten, há quem prefira comer moderadamente, e há quem ignore completamente a existência do glúten… E leva a vida numa boa.

Vários estudos observaram que quando o glúten é retirado da alimentação, ou ao menos quando seu consumo é reduzido, observa-se, na prática, que no geral há uma minimização significativa dos males como doenças inflamatórias intestinais, enxaqueca, bronquite, sinusite, asma, entre outras.

Uma coisa é certa, como em qualquer caso de exagero, consumir em excesso pode virar uma espécie de cola no intestino, fazendo com que os nutrientes essenciais para o corpo não sejam bem absorvidos, causando uma série de males como obesidade, dores nas articulações, dores de cabeça, entre outras.

O mais importante é você saber o que pode lhe causar mal. Por exemplo, se você perceber que depois de uma noitada de massas, no dia seguinte bate aquela enxaqueca, talvez seja hora de rever a sua relação com o glúten, para tratar a causa e não os sintomas. Mas para isso, você precisará de orientação nutricional.

Conclusão: A necessidade de retirar completamente o glúten da dieta só existe para quem tem intolerância ou alergia. E se decidir, por vontade própria, cortar o glúten da sua vida, não faça isto sem orientação profissional, ele vai saber lhe orientar como fazer isto da maneira mais segura!

Deixe seu comentário