Sensibilidade Alimentar

Como saber se estamos sensíveis quando comemos?

O nosso aparelho digestivo é um sistema complicado. Pode parecer simples. Comemos, absorvemos, eliminamos. No entanto, há muitos passos para completar este processo e muitas substâncias químicas são necessários para que as coisas corram bem.

Usamos enzimas, minerais e até mesmo bactérias para digerir os alimentos. E quando um desses elementos está fora de equilíbrio, ou não está funcionando de forma ideal, todo o sistema sai dos trilhos. Um dos efeitos de um desequilíbrio no sistema pode ser uma sensibilidade alimentar.

Sensibilidade Alimentar causa:

Dores de cabeça, problemas de pele, incluindo acne, e, claro, problemas digestivos, incluindo gases, distensão abdominal, constipação e diarreia. Então, como poderemos sabe se temos uma sensibilidade alimentar e qual alimento causador da reação pode ser? Na verdade, existem alguns métodos que podemos usar.

Diário Alimentar

Para quem sentiu alguma sensibilidade, uma alteração no comportamento do organismo ou do corpo, o certo é manter uma espécie de guia ou diário alimentar. Acompanhe tudo o que você come. Não é para controlar as quantidades ou calorias, simplesmente o conteúdo. Aquilo que vem no rótulo e que seja importante ser detalhados na composição. Por exemplo, se usamos um tipo de molho, e teve alguma reação alérgica, certifique-se de observar a composição do produto. É provável que encontremos tanto glúten e produtos lácteos, ou muitos condimentos. Por isso é bom aprendermos a linguagem dos rótulos dos produtos que consumimos.

Por exemplo, caseína é uma proteína de leite que pode ser usada em alguns produtos ou suplementos. Se formos sensíveis ou alérgicos ao leite, poderá ter uma reação a um molho simplesmente porque a caseína é um ingrediente da composição, por exemplo. Outro exemplo é a doença celíaca, que é uma intolerância ao glúten. As principais fontes de glúten na dieta são os cereais (trigo, centeio, cevada e aveia). O glúten, soja, milho, leite, nozes e ovos são alérgenos comuns.

Outros produtos alérgenos: peixes, frutos do mar, tomate, frutas cítricas, castanhas, nozes e amendoim, aditivos alimentares de sensibilidade química (cafeína, tiramina em queijos envelhecidos e glutamato monossódico-realçador de sabor).

Devemos prestar atenção a qualquer sintoma na hora que experimentamos um alimento ou um produto e a única solução atual, é manter uma dieta isenta desses alimentos que contenham estes ingredientes caso tenhamos alguma sensibilidade.

Avalie seu nível de energia, a qualidade do sono, clareza mental, e seu sistema gastrointestinal. Tome nota. Com o tempo você pode observar com testes padrões. Por exemplo, depois de comer batatas fritas de pacote você pode observar acne e diarréia. Isso é um sinal claro de que você é sensível ao milho.

sensibilidade alimentar

Dieta de Exclusão

Outra abordagem para identificar sensibilidades alimentares é fazer uma dieta de exclusão. Isso requer um planejamento cuidadoso e atenção aos ingredientes na sua alimentação. A dieta mais comum de exclusão é cortar os alimentos alérgenos. Depois de ter concluído algum tempo (2 a 6 semanas) sem estes alimentos, poderemos gradualmente ir julgado um por um com teste de provocação oral para se confirmar o diagnóstico.

Por exemplo, para a primeira semana após a dieta de exclusão do leite, é que pode tentar adicionar alguns produtos lácteos de volta em nossa dieta. Um copo de leite, sem exageros. Se for sensível notará uma reação física, como problemas de estômago ou diarreia. Se não tiver quaisquer sintomas, é provável seguro comer o tipo de alimento em teste.

Sensibilidades alimentares são cada vez mais comuns. Pode ser ambiental, genética, ou uma combinação de ambos. Ao identificar os alimentos que causam problemas, você pode melhorar sua saúde digestiva e seu bem-estar. Hoje há muitas discussões, de órgãos de interesses nutricionais, que tenhamos mais informações claras e precisas nos rótulos sobre a composição dos alimentos industrializados com referencia aos alérgenos.  Procure sempre uma avaliação com um médico para uma analises sanguíneas laboratorial ou uma nutricionista para dúvidas e correções alimentares.

Bibliografias e Consultas:

Alergia alimentar – Sociedade Brasileira de Pediatria

O que é Alergia alimentar?

Catarine Koch Jung: Sensibilidade alimentar

Deixe seu comentário